quarta-feira, 17 de outubro de 2012

postado por Jaqueline Oliveira em quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Quando levar seu filho a um psicólogo?





Muitas vezes não entendemos nossas crianças, mas percebemos claramente que há algo errado com elas. Você pergunta o que ela tem e ela diz que não é nada, olha para baixo, sai correndo ou simplesmente fica olhando para você sem dizer uma só palavra. Isso te apavora, você se sente a pior mãe do mundo, pois afinal de contas você deveria conseguir ajudar seu filho.

Mas não é bem assim, criança não vem com manual de instruções e sua forma de comunicar que algo não está bem é muito, muito diferente da forma que os adultos entendem – mesmo porque a maioria das vezes a própria criança não sabe que há algo errado, apenas sente um desconforto que não compreende.

A psicoterapia infantil é o atendimento psicológico de crianças. Esse atendimento de crianças, assim como o de adultos, visa a identificação e tratamento de problemas vivenciados pela criança que estão relacionados a conflitos de ordem emocional.

Quando podemos identificar a necessidade de um psicólogo para uma criança?

Há uma gama ampla de respostas para esta pergunta. Eu prefiro dizer que, quando se percebe variações no comportamento da criança que sejam mais acentuadas, ou mesmo, que os pais tenham dificuldades do como agir, sobre o que pensar, enfim, entre outros aspectos, é válido consultar um psicólogo.

Quais os principais motivos para procura da terapia para a criança?

Diversos.
Dificuldade de aprendizagem, agressividade, desconcentração, terrores noturnos, baixa auto-estima, perdas, questões relacionadas ao sono, à socialização, entre outras.

Como é a terapia de criança?

Inicialmente é feita em entrevista bem completa com os pais e possivelmente com os que o cuidam dela e a escola.  A criança tem encontros com um psicólogo que em média duram 50 minutos. Nestes encontros geralmente o psicólogo propõe jogos e brincadeiras que entretenham a criança e que ao mesmo tempo permitam que ela comunique coisas que a preocupam.

Portanto, é durante a brincadeira que o psicólogo pode ir conversando e interagindo com a criança para que ela se solte, sinta-se acolhida e consiga expressar-se. Talvez uma das mais marcantes diferenças entre a terapia de adultos e a de crianças esteja exatamente no meio de comunicação predominantemente usado: enquanto os adultos falam sobre o que têm sentido e o que os incomoda e gostariam de mudar, a criança se comunica com o psicólogo através da forma como constrói suas brincadeiras.

Como a psicologia infantil ajuda a criança?

O psicólogo, além de sua vocação para lidar com crianças, é treinado para oferecer um ambiente onde ela se sinta segura. A forma de falar, o tom, as palavras que ele usa são todas muito bem elaboradas para criar um ambiente de acolhimento e confiança.
A psicologia infantil ajudará esta criança a se restabelecer numa realidade mais saudável e também orientará os pais para a continuação do processo de melhora em casa.

Os pais precisam aprender a psicologia infantil?

Só o que se aplica a seu filho. O universo infantil é extenso e complexo, cada caso é um caso totalmente diferente do outro. O que deu certo com o filho do vizinho não significa que dará com o seu. Os sintomas que o coleguinha apresentou pode ter sido originado por problemas muito diferentes do que o seu filho está passando.

Pais, caso percebam alguma modificação de comportamento em seus filhos, procure um profissional, para que possa ajudá-lo.


Psicóloga Jaqueline Oliveira – CRP: 05/36475
Contato: (21) 8895-4365 - jaquelineoliveirarj@yahoo.com.br
Freguesia - Jacarepaguá.


0 comentários:

Postar um comentário