segunda-feira, 22 de outubro de 2012

postado por Jaqueline Oliveira em segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Medo de sofrer de amor







Um mundo sem amor é um lugar horrível!

Sem dúvida nenhuma essa é uma afirmação, a meu ver, categórica. Definitivamente ser gente tem a ver com sentir, e se esse sentir puder ser o amor! Aliás, o que seria de uma vida que ao passar não conhecesse o amor?
Ao redor do mundo as pessoas cantam, dançam, escrevem, declamam por amor!
O  amor é uma das maiores forças que o ser humano possui e por mais estranho que pareça existe muita gente por aí com MEDO DE AMAR…

Pois é, a verdade é que o amor tem sido visto como um grande bicho papão, entre homens e mulheres que por sua vez tem se blindado desse ‘imbróglio’ chamado envolvimento amoroso.
Como somos seres inteligentes sempre estamos desenvolvendo, inventando ou aperfeiçoando uma maneira de nos protegermos da dor e do sofrimento que a vida pode nos pregar!

O problema é que tenho visto muita gente abrir mão de se relacionar de alcançar o amor por medo do sofrimento que ele pode vir a causar!
Segundo Shinyashiki “Por medo de sofrer de amor, condenou-se a sofrer todos os dias a dor da solidão”
Uma pena.

Amar pode doer e pode sim causar grande sofrimento, pois quando se é realmente amado nos sentimos seguros para ser realmente quem somos não são precisos papéis, não é preciso ter medo de ficar vulnerável, pois nossas fraquezas não serão usadas como munição… Difícil não é amar, difícil é não ter medo de perder isso!
Difícil também é se sentir rejeitado e muitas vezes isso acontece porque o que rejeitou também tem medo de se envolver e reconhecer o amor!

Parece que estamos sem saída, amar? Ficar só? Se entregar? Se garantir?
A saída?
A saída é viver! é arriscar, aprender, cair, levantar, chorar…. O problema é viver com medo, viver protegido, com o pé atrás, blindado, desculpe, mas isso é viver pela metade, é viver mais ou menos, é viver morno é morrer aos vivendo…

A dor, o sofrimento fazem parte da vida, servem para que a gente aprenda, chore, seja abraçado, para que reconheçamos os amigos e também para que a gente se fortaleça. A dor do amor tem sido evitada como uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma e nesse movimento pessoas viram coisas, com data de validade estabelecida… ninguém serve, ninguém presta… mas por incrível que pareça todos estão buscando e temendo a mesma coisa…
Talvez fosse melhor estar errada, mas… é assim que se dá, é assim que se dá a vida.

Por: Alda Marmo
Fonte: Indika bem


1 comentários: