quarta-feira, 24 de agosto de 2016

postado por Jaqueline Oliveira em quarta-feira, 24 de agosto de 2016

7 dicas para viver a maternidade e lidar com o retorno ao trabalho.

Muitas mulheres se veem após a maternidade em um grande conflito, agora são mães e têm um novo “ser” para cuidar, e a partir do nascimento se dedicar inteiramente a ele. Estas mulheres passaram por muitas transformações, desde físicas, hormonais, emocionais a comportamentais. O medo e a insegurança permeiam neste processo de constituição de seu novo “ser”. Tornar-se Mãe é também ganhar mais um papel para dar conta, e muitas vezes este papel é carregado de culpa, sem manual de como deve ser feito.
Os meses se passam, e esta Mãe, quer dar voz ao seu papel de Mulher. A mulher que atua no mercado de trabalho, que tem a sua individualidade e reconhecimento social. Social sim, pois um dos maiores medos e dilemas desta mulher, é se perder e ter a sua identidade apagada.
Esta nova Mulher muitas vezes, não se reconhece e quer resgatar a mulher de antes. Mas esta mulher passou por uma grande transformação.
Vivencia grandes dúvidas e se pergunta:
  • Será que é possível conciliar o meu trabalho com a maternidade?
  • Será que estou pronta para atuar como antes, da forma que o mercado exige?
  • A quem vou delegar o papel de mãe? E como fica a maternagem?
  • Será que é possível abrir mão do trabalho e cuidar do meu filho?
  • Muitas delas, não têm escolha, e precisam retornar ao mercado, da forma que ele se configura.
  • Não quero retornar, mas vou ficar em casa?
  • Não sou mais aquela de antes…
É possível vivenciar uma maternidade real, com menos culpa e mais leveza, respeitando cada momento, contribuindo para o desenvolvimento de uma criança emocionalmente saudável.
Resultado de imagem para imagem mae e trabalho
 Vejamos 7 dicas para viver a maternidade real e lidar com o conflito do retorno ao trabalho:
  1. Empodere-se: confie em si mesma, não se abale com o que os outros dizem. Palpites nem sempre são bem-vindos. Viva o seu momento no seu ritmo e do seu bebê;
  2. Informe-se, busque uma rede de apoio, a qual tenha liberdade para conversar e expor o que sente;
  3. Escolha: sinta-se livre para fazer a escolha que achar mais adequada a sua realidade (voltar ao trabalho ou permanecer em casa com o bebê);
  4. Não se compare às outras mães, cada mãe tem seu estilo de exercer a maternidade, cuide do seu bebê como entende que é o mais adequado a ele. Tenha certeza de que ele lhe dará os sinais do que precisa, e logo você entenderá essa linguagem tão particular entre você e seu bebê;
  5. Reserve tempo para você: por mais corrida que seja a sua nova rotina como mãe, é importante reservar tempo para você fazer o que mais gosta: ir ao salão de beleza, ler um livro, fazer uma atividade física ou qualquer atividade que lhe proporcione bem-estar;
  6. Organize-se: você já deve conhecer a rotina de sono do seu bebê, assim organize seu tempo, sua agenda, seu trabalho e seus horários para que possa dar conta de suas atividades e tarefas do lar e também ao merecido descanso; e
  7. Conte com ajuda de amigos e familiares: a presença e a participação do Pai principalmente faz toda a diferença no desenvolvimento emocional e cognitivo do seu bebê. Para ter mais equilíbrio entre seu papel de mãe e de mulher, compartilhe os cuidados do seu bebê com familiares e amigos de extrema confiança.
Diante da persistência da dificuldade em lidar com esse novo momento de vida, conte com o apoio de um profissional como o psicólogo. Na psicoterapia você Mãe e Mulher, terá a oportunidade de elevar seu grau de autoconhecimento e reconhecerá o seu novo eu, diante desta nova fase da vida.
Com carinho,
Jaqueline Oliveira – CRP: 05/36475


0 comentários:

Postar um comentário